Senvion

Espaço Associado

Saber estar preparado para responder em caso de emergência é a melhor forma de prevenção

 

A Senvion está presente em Portugal desde 2004. Com aproximadamente 570 MW instalados em Portugal, é uma empresa líder no país. A Senvion oferece soluções personalizadas para construção, transporte, instalação, serviço e manutenção para projetos de energia eólica. É líder de mercado em novas instalações em Portugal desde 2014.


Em Portugal, o Grupo Senvion – que inclui as empresas Ria Blades e Ventipower – emprega mais de 1.200 pessoas. 


A segurança é um pilar fundamental na nossa forma de estar. A cultura de segurança está de tal forma interiorizada que as rotinas criadas acontecem de forma natural. Os colaboradores são parte fundamental desta cultura, e participam ativa e proactivamente na identificação de potenciais perigos, assim como na sugestão de ações para a sua eliminação ou minimização. São várias as temáticas em que esses perigos são elencados, mas vamos agora abordar uma que tem o foco na equipa que se dedica à manutenção das turbinas eólicas.


Tipicamente as equipas de manutenção são constituídas por grupos de dois elementos que trabalham de uma forma autónoma e remota. Os colaboradores estão expostos a altos riscos, quer pela natureza das tarefas realizadas (das quais se destacam o trabalho em altura e em tensão), quer pela reduzida acessibilidade rodoviária dos parques eólicos (a maior parte estão localizados longe das principais cidades) ou pelo isolamento criado pela ausência/fraca qualidade de cobertura das redes de comunicações.

 

Os diversos players da indústria eólica, conscientes dos riscos associados, têm com prática basilar dotar os seus colaborares de equipamentos e competências para poderem actuar em qualquer tipo de situação, como incêndios ou condições climatéricas adversas (tempestades, gelo, descarga atmosférica, etc).

 
Os colaboradores da Senvion estão habilitados a proceder ao socorro dos colegas, quer no que toca a primeiros socorros quer na evacuação dos mais diversos cenários, tanto no interior como no exterior da turbina eólica. 

 

Adicionalmente são executados exercícios de simulacro de emergência, aos quais todos os colaboradores terão que, no mínimo, comparecer uma vez por ano. Os simulacros são a melhor forma de testar, de criar rotinas e de avaliar todos os cenários que vão sendo identificados. Permitem também avaliar a eficácia das formações ministradas e testar as ações que se pretendam implementar.


Nos simulacros são envolvidos não só os meios internos mas também os diversos agentes governamentais (externos) de resposta à emergência. Aqui, como em outras áreas, existe um grande espaço para melhoria. Há que implementar um plano nacional de emergência para a resposta externa, onde sejam identificados todos os meios necessários a uma rápida localização e extração das vítimas nos vários cenários e a definição clara da fronteira de responsabilidade.


Não poderíamos terminar sem reconhecer a grande evolução na resposta à emergência verificada nos últimos anos. Esta foi principalmente impulsionada pelos diversos agentes da indústria eólica (investidores, fabricantes e empresas de manutenção), no entanto, têm actuado de uma forma isolada.

 

Acreditamos que será possível uma evolução ainda mais significativa, desde que todos os stakeholders se juntem para encontrarem soluções.

 

 

Assista a um dos nossos simulacros aqui.

Anúncios