IEP – Instituto Electrotécnico Português

Espaço Associado

Controlo da qualidade em parques fotovoltaicos

 

A Europa do Sul apresenta condições privilegiadas para o aproveitamento de energia solar na produção de eletricidade por via da tecnologia fotovoltaica. O nosso país, em particular, apresenta excelentes indicadores de exposição solar e áreas geográficas apropriadas para a instalação de grandes parques fotovoltaicos.


A conciliação destas condições naturais do nosso território com os custos cada vez mais competitivos da tecnologia, está a tornar a construção de grandes parques fotovoltaicos numa área de investimento atrativa para os grandes investidores nacionais e internacionais.


Por via deste grande potencial de expansão do mercado dos grandes parques fotovoltaicos em Portugal, é desejável, que a evolução prevista seja acompanhada por um maior e mais sofisticado controlo da qualidade de construção e uma mais sistemática avaliação do desempenho dos sistemas fotovoltaicos.


Neste contexto, identificam-se três etapas cruciais desta avaliação com objetivos distintos:

 

  • Na construção dos painéis fotovoltaicos em fábrica
  • Na construção do parque fotovoltaico
  • E na sua operação e manutenção

 

A avaliação na fase de construção dos painéis fotovoltaicos tem como objetivo validar os ensaios realizados, quer de desempenho dos painéis quer da qualidade de construção à saída da fábrica.


A validação na construção do parque fotovoltaico, visa verificar e validar os índices de desempenho dos painéis fotovoltaicos antes da sua instalação, ou mesmo identificar painéis danificados decorrentes da fase de transporte. Com este procedimento, no caso de ser detetada qualquer falha, esta pode ser reportada diretamente ao fabricante, antes mesmo da instalação.


Este procedimento tem dois grandes benefícios, por um lado possibilita a ilibação da equipa instaladora de qualquer responsabilidade na fase de montagem e por outro permite reduzir o risco financeiro associado ao projeto decorrente de uma melhor performance global do parque fotovoltaico.


Por último (mas nem por isso, menos importante), durante a fase de operação e manutenção, as avaliações do desempenho dos painéis e de toda a infraestrutura elétrica associada assumem um papel preponderante no desempenho energético do parque fotovoltaico, uma vez que desta forma se identificam painéis fotovoltaicos, ou outros elementos, com índices de produção abaixo do expectável protegendo deste modo o investidor.


Como análise e avaliação da performance, recomenda-se a realização de ensaios que permitem traçar curvas I-V, termografias e eletroluminescência.


A realização das curvas I-V permite-nos verificar se a eficiência dos painéis fotovoltaicos está ajustada ao especificado pelo fabricante. Relativamente à termografias e eletroluminescência, estes ensaios permitirão identificar, diversos defeitos, nomeadamente:

 

  • Díodo defeituoso (Defective Diode)
  • Aquecimento da caixa de Junção (Heated Junction Box)
  • Aquecimento de várias Células no painel (Multiple Hot Cells)
  • Aquecimento de uma célula (Single Hot Cell)
  • Módulos em circuito aberto (Open Circuit Module)
  • Sombreamentos (Shade)
  • Sujidade (Soiling)

 

Assim, para um controlo apertado da qualidade dos materiais, nomeadamente a qualidade dos painéis fotovoltaicos, são recomendáveis análises de performance e de deteção de defeitos, durante o processo de construção dos parques fotovoltaicos e durante o período de operação e manutenção.

 

Só quantificando os desvios e potenciais problemas, é que se poderá intervir com o objetivo de maximizar a eficiência do sistema produtor de energia fotovoltaica, aumentando a receita produzida por estes sistemas, contribuindo deste modo para a diminuição das emissões de gases com efeito de estufa e maximizando o retorno dos investimentos realizados.

Anúncios